Singularity – Capítulo 21

 

Capítulo 21 – Isso é educação?

Sentei na parte de trás da sala de aula com os pulmões cheios de ar recusando a respirar. Eu estava tão nervosa que eu tinha esmagado um pouco da madeira sobre a mesa pequena que sentei, por isso, fiz questão de manter as mãos juntas e tentar parecer indiferente. Estou bastante certa de que eu apenas parecia enjoada.

Eu estava cheia o suficiente para ficar enjoada. Domingo eu tinha comido tanto que era quase doloroso correr de volta para casa. Eu não queria cometer nenhum erro, no entanto, e um vampiro muito cheio e não respirando era o tipo mais seguro.

Observei todos os outros calouros entrarem na grande sala de aula e encontrarem seus lugares. Felizmente, eles pareciam tão nervosos e doentes como eu. Muitos deles também pareciam ridiculamente cansados. Introdução ao Inglês era dada às oito horas da manhã, e eu podia dizer que apenas cerca de metade da classe estava preparada para estar acordada hoje.

Aqueles que estavam acordados, estavam muito conscientes da minha presença. Eu tinha crescido acostumada a estar em torno de adultos ou vampiros. Esses humanos eram bastante imaturos, e estavam ou me olhando com inveja descarada ou luxúria ostensiva. A inveja era das meninas, e eu estava acostumada. A luxúria, porém, era tão descontrolada que os jovens rapazes perto de mim estavam quase babando.

Olhei para cada um dos seus sorrisos que nem de filhotinhos de cachorro e arreganhei meus dentes. Nada. Eles apenas continuaram a encarar. Tentei de novo, e ainda não obtive resposta. Fiquei tão frustrada que quase rosnei para eles.

Eu nunca tinha estado tão nervosa e auto-consciente. Isso ia ser difícil o suficiente sem suas atenções indesejadas. Foquei minha atenção para frente, enquanto a vampira dentro de mim me implorava para tirar vantagem de apenas um dos jovens super empolgados. Também estava dando a entender que algumas das jovens odiosas poderiam ser facilmente removidas.

Esta foi uma má idéia.

Assim que eu estava prestes a desembestar pela porta, o professor entrou, e imediatamente começou a chamar nossos nomes. Eu respondi com o normal “presente” quando ele chamou meu nome, usando o mesmo tom assustado como todos os outros, e em seguida começou a escrever enquanto falava sobre estrutura de frases. Ele raramente olhava para o fundo da classe enquanto continuava. Na verdade, ele mal olhava. Notei que cerca de dez alunos estavam dormindo na metade da hora, e esse número subiu para quase vinte pela hora que a aula tinha acabado.

Álgebra, biologia e espanhol terminaram o meu dia, e tudo correu muito bem. Os rapazes me olhavam com o mesmo desejo em seus olhos, mas eu não respondi de forma alguma, e eles logo começaram a olhar para outras meninas mais receptivas. Álgebra e matemática em geral eram novas para mim, mas de jeito nenhum difícil, especialmente desde que eu estava muito acostumada à matemática complexa usada em investimentos. Biologia também era nova para mim, mas eu estava muito interessada nela, de modo que a tornou muito mais divertida. Eu sabia espanhol melhor do que o professor. As únicas aulas que eu tinha na terça-feira eram Fundamentos de Desenho e História dos Estados Unidos.

Se essas eram as aulas normais de universidade, eu não tinha receio de ser descoberta como uma vampira aqui de modo algum. O que eu realmente precisava me preocupar era ser pega no meio do jogo de acasalamento sexualmente orientado que estes jovens constantemente jogavam. Eu tinha erroneamente que universidade era para a educação, mas isso não era o que estava acontecendo aqui. Cada aula quase estalava de tensão enquanto estudantes sexualmente desafiados passavam seus dias em constantes tentativas para capturar o olhar de um membro do sexo oposto. Como eles passavam em qualquer uma de suas aulas estava além de mim. Enquanto era divertido de assistir, era algo do qual eu não queria ser parte. Pelo menos não com um humano.

Dois jovens realmente me tocaram. O primeiro deles levemente agarrou meu cotovelo, e acho que desloquei o dedo dele quando puxei o meu braço para longe. O segundo veio por trás e  pôs a mão no meu ombro. Eu apenas coloquei minha mão sobre a dele e pressionei para baixo até que ouvi o seu grunhido de dor. Então virei-me e sorri. Ele correu para a porta depois da aula, e não o vi mais.

A terça-feira começou nublada e chuvosa, um bom presságio. Caminhei lentamente para a aula de arte às dez horas ansiosa pelo dia. Arte era o meu primeiro amor, e foi a arte que me fez querer vir para a universidade em primeiro lugar.

O prédio cheirava forte a produtos químicos e materiais de arte. Os trabalhos dos estudantes do passado enchiam os corredores enquanto entrava na grande sala com mesas e bancos maciços e altos. Esta aula seria lotada  também, mas o clima aqui era muito diferente do que nas aulas acadêmicas. Todo mundo estava conversando e rindo junto e, obviamente, muito relaxado na atmosfera casual. Como de costume, eu escolhi uma mesa na parte de trás que tinha apenas dois outros nela. Ambas as ocupantes eram jovens mulheres que sorriram para mim um pouco, e em seguida, desviaram o olhar. Na luz brilhante do estúdio de arte, eu era, obviamente, muito desconcertante para elas. Olhei em volta e vi que os jovens que geralmente me encaravam também estavam olhando para outro lugar. Bom. Eu não precisaria me preocupar com qualquer interesse injustificado nessa sala de aula.

O clima tenso relaxou um pouco enquanto a professora vagava, e em seguida instantaneamente ficou jovial de novo, mas por uma razão muito diferente. A professora era a pessoa com a aparência mais estranha que eu já tinha visto. Ela era uma mulher de cabelos grisalhos, que os usava muito longos e puxados para trás em um rabo de cavalo desarrumado. Pedaços antigos de vegetação que poderiam ter sido uma vez flores pendiam dos cabelos frouxamente amarrados. Ela era muito magra, mas usava calças largas firmemente amarradas na cintura com um cinto azul. Ela também usava uma camisa de trabalho masculina laranja brilhante que era duas vezes seu tamanho, e o maior par de óculos que eu já tinha visto. Seu rosto fino e angular estava absolutamente escondido atrás dos óculos hediondos. Ela olhou para cima rapidamente, e começou a ler os nossos nomes. Eu tinha certeza que ela não poderia nos ver realmente na classe porque os óculos eram tão grossos. Eu quase ri alto.

Logo que a lista foi chamada, ela apontou para uma estátua colocada na frente da turma e disse-nos para pegar papel e carvão vegetal e desenhá-la. Nos levantamos e pegamos os nossos materiais e começamos a desenhar apressadamente. Todos na classe continuavam a encarar a professora estranha enquanto ela vagava pela sala auxiliando os alunos. Ela andava como uma cegonha com suas asas estendidas, um pé na frente do outro e ambos os braços para cima e acenando ao redor. Pelos sorrisos em seus rostos, eu podia dizer que os outros alunos a achavam tão cômica quanto eu achava.

A professora tinha o hábito de se inclinar sobre um estudante e colocar a mão na dele para ajudá-lo a desenhar. Eu tensionei enquanto ela se aproximava da nossa mesa. Não havia nenhuma maneira que eu pudesse permitir ela se inclinar sobre mim para me ajudar dessa forma, mas eu não precisei ter me preocupado. Ela se aproximou de mim tal como ela havia feito com os outros, mas congelou a poucos centímetros da minha mão e apenas olhou para mim por um momento com os olhos enormemente ampliados piscando loucamente. Ela puxou a mão, sorriu sem jeito, e olhou para o meu papel.

“Um pouco mais de sombreamento, e preste atenção ao local onde a sombra cai”, disse ela rapidamente e em seguida, passou para o aluno seguinte. Eu olhei para o meu trabalho e percebi que ela estava certa, ele estava muito liso e precisava de mais sombra. No final da aula, ela caminhou ao redor da sala olhando para os nossos desenhos e segurando cada um para a classe para ver e críticar. Quando ela veio até mim, ela puxou o desenho, disse: “Bom desenho, mas muito seco. Você precisa relaxar e deixar a arte ultrapassar a técnica”, e seguiu em frente.

Eu não tinha idéia do que ela queria dizer. Eu teria ficado frustrada, mas todos pareciam estar tão perplexos como eu estava enquanto ela recitava palavras como perspectiva, sombra de fundo, espaço negativo, e proeminência. Ela terminou com um floreio de mão, anunciou: “Essa foi uma excelente primeira tentativa, vamos continuar na próxima vez com uma discussão sobre o bom uso do espaço positivo”, e flutuou porta afora. A sala inteira ficou em silêncio por um momento antes da primeira risadinha. No momento tínhamos limpado, estávamos rindo em voz alta da classe mais estranha que todos nós tivemos.

Eu fui diretamente para a minha próxima aula, embora não começaria por uma hora e meia. Eu tinha trazido o novo livro de Agatha Christy e queria ler hoje. Eu era interessada em história, mas apenas ligeiramente, então eu tinha certeza que a leitura durante a aula iria ajudar com algumas das tediosas anotações. Eu já tinha lido todos os textos atribuídos. Duas vezes.

No caminho, um leve cheiro advertiu-me de algo que parecia muito estranho neste campus. Era um vampiro, eu tinha certeza disso. O cheiro era fraco, mas estava absolutamente lá, e eu tensionei como sempre na presença de um de minha espécie. Estava um caçador aqui? Certamente eu era a única vampira atualmente freqüentando esta escola. Nenhum dos outros que sabiam dos meus planos tinham sequer a menor vontade de se educar. Vaguei pelo campus tentando pegar o cheiro e procurar um vampiro em minhas visões, mas a única coisa que eu pude ver quando eu procurei o vampiro, fui eu sentada no que deveria ser a minha aula de história. Como poderia ser? Eu sabia que eu não estava me cheirando.

Estúpidas visões erráticas.

Vaguei para a sala de aula correta e sentei-me na última fila, com apenas um minuto de sobra. Esta era um auditório, em vez de uma sala de aula, o que me agradava já que eu estaria passando a maior parte da aula tentando ver quem deixou aquele cheiro. Eu não esperei muito tempo pela minha resposta. A classe rapidamente encheu de corpos humanos enquanto eu olhava para minhas visões para tentar ver o vampiro. De repente, a minha visão tornou-se absolutamente certa. Em uma dupla realidade, com uma imagem sobreposta à outra, eu vi o meu professor de história, o Dr. Martin caminhar através da porta apenas alguns segundos antes de ele entrar, estava perfeitamente ereto, digno e absolutamente um vampiro. Todo o meu ser novamente respondeu se enrijecendo em forma de luta. Eu tentei emudecer os rosnados que automaticamente emanavam do meu peito. Mesmo com essa vantagem, eu podia vê-lo rapidamente fazendo o mesmo. Ele ficou tenso e deu as costas para o quadro negro olhando em volta rapidamente até que me viu. Seus olhos estavam obscurecidos por seus óculos esfumaçados, do tipo que muitos vampiros usavam, e ele me olhou com o mesmo olhar incrédulo que cada um de minha espécie usava quando viam os meus olhos âmbar. Olhamos um para o outro até que se tornou óbvio até mesmo para os estudantes em torno de nós que algo estava errado. Finalmente, acenei com a cabeça e ele relaxou um pouco.

“Desculpe pela demora, classe”, disse ele em voz alta, “mas apenas reconheci uma aluna que conheço. Eu sou o Dr. Hendricks. O Dr. Martin vai estar ausente por parte deste semestre devido a uma doença, e eu fui contratado para substituí-lo até que ele volte. ” Ele tinha um sotaque britânico acentuado.

A classe era de uma hora e meia, mas pareceu uma eternidade. Eu escrevi notas exatamente como fiz nas minhas outras aulas, mas mantive minha mente focada no futuro. Eu podia ver a gente conversando em um escritório, e eu podia vê-lo caçar nos próximos dias. Não havia nada além disso para ver. Talvez, eu voltaria a ser capaz de ter uma amizade com outro de minha própria espécie. O pensamento trouxe-me uma boa medida de conforto.

Sem uma palavra, eu me juntei ao Professor Hendricks perto do quadro-negro depois da aula, e nós caminhamos para seu escritório.

“Você é uma surpresa”, disse ele calmamente quando entramos e ele fechou a porta. “O que há de errado com seus olhos? Você está cega? Você se manteve olhando em frente como se não pudesse ver.” Ele tirou os óculos para revelar seus olhos meramente escarlates. Ele teria certamente a necessidade de caçar em breve, assim como a visão indicou.

“Meus olhos estão bem”, eu ri. Esta era a resposta normal de cada vampiro que eu conhecia. “Eu só caço animais, porque eu não quero matar seres humanos. É um bom substituto e estou tão forte como sempre fui”, eu disse, pulando à frente para responder a perguntas óbvias que sempre acompanhavam a causa da minha cor dos olhos.

Ele ficou em silêncio por um tempo enquanto apenas olhou para mim e pensou sobre a minha escolha de vida. Deixei-o meditar sobre isso. Demorava um pouco para muitos vampiros aceitarem a minha explicação.

“Interessante. Nojento, mas interessante. Por que você está aqui?”, perguntou secamente.

“Por que você está aqui?” Eu atirei de volta.

“Acabei de mudar para cá da Inglaterra. Minha casa em Londres foi bombardeada no Blitzkrieg, e eu quis fugir da guerra por um tempo. “

“Não vai demorar muito antes que a guerra chegue aqui, também, ” eu disse.

“Sim, eu sei, mas os aviões alemães não podem chegar aqui tão facilmente, podem?”, respondeu ele. “As novas bombas que eles utilizam causam incêndios massivos. Eu quase fui pego pelas chamas na minha própria casa, e eu decidi esperar o fim da guerra aqui. Este trabalho caiu como uma luva, daí aceitei. “

“Então você decidiu ensinar história?”

“Bem, eu tenho vivido a maior parte dela, então por que não? Eu precisava de dinheiro para uma casa – Eu não gosto de vagar mais – e este trabalho oferece um salariozinho agradável”, respondeu ele presunçosamente. Olhei por cima dele e percebi que ele havia sido transformado em sua fase mais madura. O cabelo nas têmporas estava bastante grisalho e dava-lhe um aspecto marcante de dignidade que se encaixava bem no molde de um professor.

“O que aconteceu com o Dr. Martin?” Eu perguntei um pouco desconfiada. Não seria difícil para um vampiro se dispor de um professor de história, se necessário.

“Não se preocupe com ele. Nada mais aconteceu com ele do que uma cirurgia de apêndice muito ruim. A área da cirurgia ficou infectada, então ele vai estar fora pelo semestre inteiro. Isso deve dar-me tempo para encontrar um novo emprego em outro lugar”, explicou.

“Você trabalha regularmente com humanos?” Eu perguntei. Foi a minha vez de ficar chocada. Ele era o primeiro vampiro que eu conhecia que trabalhava com as pessoas em uma base regular.

“Eu só trabalho com eles quando preciso, embora eu seja bastante bom como um professor. Normalmente, só vivo da minha riqueza roubada. Com a guerra e a mudança para cá, no entanto, eu precisava de um pouco mais de dinheiro do que o habitual, por isso, tomei esta posição quando vagou. Eu ensinei em Oxford em várias ocasiões”, disse orgulhoso. Então, ele voltou seus olhos preto-avermelhados para mim. “Então, por que você está aqui, Alice?”

“Eu quero estudar arte e design”, disse eu, com um encolher de ombros. “Eu não tive nenhuma escolaridade, então pensei que seria uma boa idéia experimentar. É bastante divertido, até agora. “

“Estar em volta de humanos não incomoda você?”

“Bem, não o suficiente para me impedir de vir à escola. Eu não costumo respirar em sala de aula, e me certifico de caçar com freqüência suficiente para que não fique com fome. Eu tenho apenas vinte e um anos de idade, no entanto, e eu tenho que ser muito cuidadosa para não escorregar. “

“Apenas vinte e um e você pode aguentar um dia inteiro ao redor deles? Estou impressionado”, ele riu. “Depois de cada aula, venha aqui comigo e eu vou lhe dizer as causas reais por trás da história americana, e eventos mundiais em questão. É uma pena eu não poder dizer aos outros alunos o que realmente aconteceu, mas tenho certeza que você vai apreciar as verdadeiras causas por trás do fluxo e refluxo dos acontecimentos humanos”, disse ele ainda sorrindo para mim.

“Eu me pergunto o que os alunos iriam pensar, tendo um homem morto como professor, ” eu brinquei enquanto me levantei para sair.

“Eles não saberiam a diferença”, ele riu, “a maioria dos professores de história já estão mortos mesmo. “

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s