Singularity – Capítulo 16

 

Eu mesma

Eu estava andando. Isso eu sabia, porque podia sentir minhas pernas automaticamente movendo abaixo de mim, mas eu não tinha idéia do que eu estava fazendo.

Estou confusa.

Minha mente deveria saber alguma coisa.

Eu preciso andar.

Os restos da concha ainda estavam tentando proteger algo.

Eu não sei onde estou.

Eu continuei a andar.

O que está acontecendo?

Eu simplesmente andei. Nada mais era necessário. Eu não percebi o céu amarelando.

Apenas andar.

Eu não percebi as cores e sombras.

Caminhar.

Então a luz bateu na minha pele, e por apenas um instante, as paredes em volta de mim refletiram diamantes. De repente, mãos fortes me agarraram e me puxaram para uma loja. Eu fui virada, e olhei nos olhos preocupados dos meus amigos.

Eles seguiram o meu cheiro. Eles acham que eu estou louca. Eu acho que estou louca.

“Leve-a para um quarto “, ordenou Paul. Sua voz estava muito rouca.

“Venha, Alice, vamos te acomodar “, Annette ronronou no meu ouvido. Eu fui levantada e levada por uma certa distância antes que as mãos me colocassem em uma cama. Vi apenas o teto.

Comecei a perceber o que estava acontecendo ao meu redor. Eu sabia que estava em algum hotel, e eu tinha quase mostrado a esta cidade, Marraquexe, o que eu era. Lembrei em uma onda de vergonha que foi Gregorio que também se arriscou a se expor para me salvar.

Eu podia ouvi-los no outro quarto, e minha mente afiada me fez escutar as palavras que eu não queria ouvir.

“Poderíamos tentar encontrar um médico, ” Ouvi dizer Annette. “Certamente há uma de nossa espécie, que estudou psicologia. Talvez nós possamos conseguir a sua ajuda. “

“Talvez nós pudéssemos ir aos Volturi, ” ofereceu Gregorio.

“Eles a queimariam com certeza apenas por mostrar a sua pele”, rebateu Paul.

“Tudo isto por causa de um homem?”, Perguntou Gregorio. “Por que ela simplesmente não se apresentou à ele? Ela poderia deixá-lo fazer sua própria escolha. Por que correr?”

“Eu acho que ela presumiu que a mulher que estava com ele era sua parceira”, disse Marianne.

“Se ela é atraída por ele como uma parceira, não deveria ele estar atraído por ela? Eu nunca ouvi falar disso sendo de outra forma. O jeito que ela está agindo, é quase como se ela tivesse perdido um parceiro para o fogo e não apenas vê-lo com outra. Ela age como Emilio agiu quando ele perdeu Elena, lembra? Mas este homem não está morto. Ahh! ” Annette quase rosnou em frustração. “Eu deveria tê-la forçado a encontrar um homem. Com um pouco de experiência, ela teria reagido a isso muito melhor. ” Annette foi sempre prática.

Eu podia sentir-me totalmente retornando. Eu não queria voltar sem a concha. A dor apunhalou-me livremente sem qualquer proteção.

“Eu acho que é mais do que ser atraído a alguém que está com outra. Parecia que ela o tinha conhecido antes, e ele ainda foi com a outra mulher”, Marianne arriscou. “Eu acho que, talvez, ele tenha escolhido outra. “

Eu estava me afogando na dor agora. Ouvir Marianne constatar tão claramente causou ondas de dor que vieram em mim já despedaçada.

“Bem, ele pode voltar atrás “, Annette estava com raiva agora, e ela cuspiu as palavras cheias de ódio. “Onde está esse homem que escolheria outra além Alice? Gostaria de conhecê-lo e mostrar-lhe exatamente o que penso dele. “

“Talvez devêssemos focar em conhecer a outra mulher. Seria simples o suficiente removê-la do quadro. ” Gregorio sempre escolhia o caminho direto para resolver um problema. Eu não estava tão longe que não poderia me sentir grata por sua idéia. A idéia de Gregorio conhecer Maria deu-me um certo grau de prazer destorcido.

“Annette, ” Paul suspirou, “talvez você devesse simplesmente contar a ela a sua história. Se ela não entender os nossos jeitos, ela não será capaz de lidar com isso. Eu não quero levá-la a lugar nenhum enquanto ela estiver assim, e não podemos ficar aqui por muito tempo. Ela causou dano demais. “

“Eu contarei amanhã, depois de ela ter descansado. Talvez então, ela realmente será capaz de me ouvir”, disse ela.

Fiquei deitada na minha cama, no calor do dia marroquino e assisti o padrão que as moscas faziam enquanto voavam pelo teto. Minha mente estava de fato totalmente recuperada, e eu estava tentando distraí-la com qualquer coisa, qualquer coisa em absoluto. Eu tinha sido a boa Alice por nove anos. Eu tinha feito uma vez o que eu era prevista para fazer:  eu era tanto uma vampira quanto uma boa pessoa.

Era. Não importava agora. Os ciganos estavam mortos, os marinheiros e soldados estavam mortos, as pessoas indesejáveis e desconhecidas estavam mortas, e o jovem casal estava morto. Suas famílias estavam agora de luto, e eu era a causa. Quatro anos de morte e mentiras. Quatro anos de dor e tristeza. Se houvesse uma maneira de acabar com minha vida, eu teria tomado esse caminho em vez de deitar aqui vazia, sem esperança e culpada do maior pecado. Em vez disso, eu seria forçada a viver assim para sempre.

Viver. Era a piada mais cruel do universo. Eu tinha uma morte sem fim, não uma vida infinita. Indestrutível. Exceto por minha alma – meu ser estava lentamente se corroendo e não havia nada que eu pudesse fazer. A erosão iria durar para sempre como a dor infinita. Como alguém poderia querer essa imortalidade quando um fim, um descanso, diminuiria toda a dor e trazer alívio?

Ouvi passos pelo longo corredor. Annette. O bater na minha porta foi quase tão suave, mesmo para os meus ouvidos ouvirem. Eu me perguntava por que Annette, ou qualquer um dos outros, gostaria de estar perto de mim em absoluto. Eu quase os tinha destruído no sol.

“Alice, estou entrando, não corra. “

Ela entrou no quarto parecendo quase tímida, de uma maneira impressionante. “Marianne nos disse o que estava incomodando você. Acho que precisamos conversar, porque eu penso que você não entende uma coisa. ” Ela estava nervosa, mas seus olhos escuros estavam determinados.

Voltei a olhar para o teto. “Não importa. Nada importa. “

“Sim, eu acho que importa muito. Marianne disse que você viu aquele que você pensa que deve ser o seu parceiro, e ela tem certeza pela sua descrição que ele será. Nós não podemos encontrar mais de um parceiro, e este seu Jasper, será o seu parceiro, mas não agora “.

Rolei de bruços e agarrei os lençóis e me segurei. Eu não podia sequer olhar para ela porque o nome dele queimava através de mim tão certo como um incêndio iria.

“Ainda? Você não quer dizer nunca? Eles eram íntimos, verdadeiramente íntimos, um com o outro. Eu os vi se amarem, eu o vi abraçando-a, e vi o desejo nos olhos dela. Isso rasgou o meu coração ao meio!” Eu estava gritando agora. “A vida não tem sentido. NENHUM. Que razão eu tenho para existir? Tudo que eu quero é a morte, e é a única coisa que não posso ter. Por favor, eu só quero que pare de doer, eu só quero que acabe. “

“Deixe-me contar minha história”, disse ela suavemente e silenciosamente em meu ouvido. “Não se mova, e não olhe para mim, mas, por favor, apenas ouça.

“Eu nasci em 1763 perto de Lourdes, França. Eu era a filha de um pequeno proprietário de terra, e eu era educada e bonita. Mais importante, eu podia dançar balé como ninguém na província. Minha vida era um sonho maravilhoso. Dancei para o rei e a corte, e eu tive minha quantidade de pretendentes. Eu estava procurando por um homem especial, no entanto, um que fosse um pensador profundo e um grande líder, um homem que entendia questões maiores do que apenas os problemas do negócios do dia a dia ou do estado. Então, eu tinha vinte e dois anos e estava solteira, o que era inédito na época. Meus pais estavam preocupados, mas eu tinha uma carreira maravilhosa e era bem rica por causa do meu talento. Então, um anjo alto e incrivelmente bonito veio para mim depois de uma apresentação no palácio do duque. Seu nome era Gerard, e ele era, obviamente, muito rico e mais conhecedor do que qualquer homem que eu já conheci. “

Ela parou, e eu não pude deixar de olhar para ela. Sua voz, ainda calma, era amarga e afiada enquanto ela terminava, e o olhar em seu rosto mantia uma dor antiga. Ela me olhou, sorriu um sorriso triste, e continuou. ” Ele pediu minha mão em casamento após apenas quatro dias, e com alegria eu fui à igreja com ele para uma pequena cerimônia. Eu tinha escrito para meus pais sobre meu quase marido – graças a Deus por isso. Pelo menos, eles acreditaram que eu estava feliz – porque, depois da cerimônia, ele me levou, sua noiva, para as catacumbas abaixo da igreja, e me transformou. Foi apropriado, suponho eu, morrer entre os mortos. Eu o amava, mesmo depois de queimar, eu o amava, mas eu estava zangada também. Esta não era a vida que eu queria. Eu não me importava com a eternidade ou a beleza, porque eu já havia sido dada uma vida tão maravilhosa para se viver. Levei muito tempo para superar a raiva, mas ele era bom e amável, e eu meu apaixonei por ele totalmente. “

“Mas e Paul? Você e Paul são feitos um para o outro, como se vocês fossem duas partes de uma vida”, eu disse quase com raiva. Como essa história poderia ser uma parte da Annette que eu conhecia?

“Ah, mas eu não pertencia a Gerard, vê? E, eu descobri mais tarde que ele nunca iria me pertencer. Eu não acho que ele era capaz de amar ninguém além de si mesmo, mas eu não descobri isso por mais de sessenta anos. Nós vivemos em cidades de toda a Europa, e então ele me levou para ver o mundo. Eu me tornei uma grande dançarina, não importava onde estávamos. Era o nosso disfarce. Eu viajei para todas as nações civilizadas e mais algumas não civilizadas naqueles sessenta e cinco anos, mas eu estava lentamente ficando vazia, e a tristeza era a minha companheira constante. Eu estava sentindo falta de toda uma parte de mim, mas eu não sabia por quê. “

Ela fez uma pausa, e quando ela continuou, sua voz era muito fria.

“Gerard estava também ficando distante de mim. Acabamos por ficar em New Orleans em 1848, e eu era novamente uma bailarina e Gerard um músico. Era um lugar maravilhoso, um lugar fácil para um vampiro viver e comer, mas Gerard estava agora tão frio e distante de mim que eu estava miserável. O que eu não sabia era que ele tinha encontrado um novo rosto para lhe agradar. Esse era seu hábito, encontrar uma humana adorável, mudá-la, mantê-la até que ele estivesse entediado, e depois matá-la. Eu teria sido a sua próxima vítima se outro vampiro francês, que o conhecia não tivesse nos visto juntos e me avisado. Fugi dele e me dirigi ao norte, terminando em Nova Iorque com Gerard me seguindo de perto. Eu tombei com Marianne por acidente quando eu peguei o cheiro dela saindo da igreja, e ela me trouxe para Paul. Paul, Michael e eu destruímos Gerard juntos antes que ele pudesse me machucar. Eu não sabia até então, mas eu já estava perdidamente apaixonada por Paul. No segundo que coloquei os olhos nele, minha vida estava completa, mas eu estava com dor demais para compreender. Levei quase três anos antes que eu pudesse realmente confiar em ninguém novamente, e todo o tempo, Paul só observou e esperou por mim. Então uma noite, eu estava dançando no cais e Paul estava me assistindo. Ele ficou lá com este olhar intenso no rosto, como se estivesse com dor. Quando lhe perguntei o que estava errado, ele apenas disse que estava esperando por mim. Eu não entendi a princípio, mas depois eu realmente olhei nos olhos dele, e minha dor simplesmente desapareceu, sem mais nem menos. Eu não posso nem começar a descrever como foi mudar assim depois de pensar que eu estava apaixonada. Era totalmente tão diferente, nem mesmo como uma emoção. Era mais como se o universo inteiro mudasse de alguma forma e de repente eu estava inteira e feliz. “

“Então, podemos sentir que estamos apaixonados, e ainda pode não ser o nosso verdadeiro parceiro? Você acha que eu não estou realmente apaixonada por Jasper?” Eu perguntei incrédula. O pensamento nem sequer fazia sentido; eu tinha de amar Jasper porque essa era simplesmente a forma como o mundo era. Eu fui feita para amar Jasper e havia sido destinada a fazê-lo a partir da própria fundação da terra.

“Não. Eu vi seu rosto, vi a sua dor. Ele não sabe que precisa de você ainda. Vá. Encontre-o e mostre a ele quem você é. Talvez sua história seja como a minha, e ele apenas acredite que ama essa mulher. Eu acredito que você foi feita para amar esse Jasper, e nada impedirá esse amor “.

Eu não soube quando ela saiu. Fiquei deitada pensando sobre Paul e Annette e como eles dançaram, e eu vi pela primeira vez, porque eles eram tanto uma parte um do outro. Eu vi no seu amor claramente o que ela quis dizer sobre ser mudado para se adequar um ao outro.

Poderia ser verdade? Se Jasper não estava apaixonado, então havia esperança. Eu esmaguei os primeiros sinais de esperança de forma rápida e sem descanso, mas eu não pude evitar. Não importa o quanto eu tentasse, a esperança continuou a me romper.

Lentamente, eu trouxe a visão que queimava a minha alma. Eu engasguei na dor enquanto eu via como ele abraçava Maria e como ela reagia, e então eu percebi com uma sacudida repentina que Jasper e ela não se encaixavam. Poderia isso estar certo? Forcei-me a ver o que realmente estava acontecendo. A memória nítida passou pela minha cabeça como um show de imagem: os horríveis gritos e ruídos de rachaduras, a fumaça, o pavor nos rostos de Jasper e Peter. Eu vi Peter puxar Charlotte, e eu vi a tristeza doendo nos olhos vermelhos de Jasper, eu vi sua expressão dilacerada enquanto Peter fugia com Charlotte.

Agarrei meus joelhos e suguei minha respiração para me preparar para a dor. Eu vi Maria vir furiosamente para Jasper e exigir que ele fosse atrás do casal que fugiu. Eu o vi defendê-los e se recusar a ir atrás deles. Então eu vi. Ele estava rígido enquanto agarrava Maria, quase irritado. Ela permitiu o beijo, permitiu que as mãos dele percorressem todo o seu corpo, permitiu-lhe levá-la ao chão, mas ela não queria. Suas ações eram apenas uma distração, e ela sabia disso. Não havia amor, de maneira nenhuma que as ações eram parecidas como as que eu tinha visto entre os parceiros em Nova Iorque. Eles não eram feitos um para o outro; eles não tinham sido criados para se encaixarem perfeitamente. De repente, eu já não estava desesperada, perdida e com dor – eu estava voando, voando acima da minha perda nas longas asas proibidas da esperança.

Eu sabia que não poderia suportar perder o homem que eu não tinha direito de novo, mas eu não podia ignorar os fatos que a minha mente tinha perdido. Se ainda houvesse a menor chance que Jasper e eu pudéssemos de algum modo, algum dia estar juntos, eu tinha que aceitar. Eu novamente tinha um propósito, uma razão verdadeiramente minha para viver, e eu pretendia cumprir. Eu não poderia viver sem tentar.

Comecei a procurar, usando minhas visões para me ajudar a me preparar para a viagem de regresso. Eu vi bons terrenos de caça, viu os exércitos e ameaças, e em seguida, olhei para os percursos mais rápidos de volta. A Alemanha tinha a rota mais rápida para a América usando seus zepelins, mas eu teria que ter muito cuidado agora, se eu pretendia voar. Eu precisaria também alertar os outros de olhos atentos que agora guardavam todos os portos. Ao fim da tarde, eu tinha feito meus planos.

Naquela noite, depois de um banho e roupa nova, eu juntei os meus amigos pela última vez. Eu me preparei para o dom de Paul. Eu sabia que ia precisar de tudo o que eu tinha para deixá-los. Eu lhes diria a verdade, ou tanto quanto me atreveria, diria como sobreviver à guerra, e sairia. Eu não tinha outra escolha.

“Alice! Até que enfim, a ressurreição dos mortos! Literalmente. ” A saudação de Gregorio me fez rir, um riso real e verdadeiro. Era tão maravilhoso estar aqui sem a concha horrível me sufocando.

“Fico feliz em te dar uma experiência religiosa “, eu respondi sarcasticamente. Então eu me virei para os outros e disse com mais sinceridade quanto o meu ser em recuperação poderia gerar, “Muito obrigada a todos vocês. Estou muito envergonhado de quão perto cheguei a pôr em perigo a cada um, e espero que possam me perdoar por isso”.

“Não há nada para se perdoar, Alice. Eu não acho que eu poderia seguir tão bem quanto você, se eu achasse que tinha perdido Annette de alguma forma “, consolou Paul. Seus olhos escuros não mantinham nenhuma raiva ou suspeita agora.

“Onde Jasper está agora, Alice? ” Annette perguntou, “Você disse que o viu, quando foi isso? No Cairo?”

“Não. ” Parei. Diga-lhes a verdade.

Não, não tudo. “Eu o vi nos Estados Unidos, e é por isso que eu vim para Londres, para fugir da memória dele. ” Agora eu me sentia tão envergonhada. O que eu tinha feito durante os últimos quatro anos?

Eu fugi. Eu fugi e vivi uma mentira total por quatro anos. O pensamento me queimava.

“Espere. Você viu isso há quatro anos e só se despedaçou há três dias?” Annette soava irritada. Ela cruzou seus esbeltos braços e jogou seus longos cabelos de uma forma que me disse que ela estava com raiva. Ela tinha o direito de estar assim.

“Eu mantive-me bem durante o tempo que pude, mas finalmente me dominou. A realidade que eu tinha realmente perdido Jasper era algo que eu não podia compartilhar com vocês, porque doía muito. “

“Por que agora?” Marianne agora soava irritada. “O que aconteceu na noite em Trípoli, que te forçou ao limite?”

“Você me forçou ao limite, ” eu disse, e Marianne instantaneamente parecia envergonhada.

“Estou tão feliz que você fez isso, Marianne. Eu mantive isso escondido de vocês porque eu estava com muita dor. Estar com todos vocês ajudou a aliviar. ” Fiquei feliz por finalmente compartilhar isso, para finalmente deixar que eles soubessem a verdade. Olhei para Annette, “Além disso, eu nunca teria entendido o que eu vi sem a sua ajuda. “

Annette sorriu brilhantemente, e Marianne me deu um pequeno abraço.

“Você está nos deixando, não é?” Marianne já sabia, mas perguntou mesmo assim.

“Sim, mas não antes de ter certeza de que vocês estão a salvo da guerra que está por vir, e não até que eu coma alguns animais. Eu quero voltar como uma humana de olhos de mel e não uma vampira de olhos vermelhos. Além disso, é tempo de eu dizer a verdade”, eu disse culpada, “vocês merecem compreender. ” Quanto eu conto a eles, no entanto? Eu não podia dizer tudo, mesmo que eu quisesse desesperadamente, porque eu tinha certeza que iria assustá-los.

“Paul sabe, e eu acho que vocês todos adivinharam, que o meu dom é muito mais complexo do que simplesmente fazer dinheiro. Eu às vezes posso ver algo do que o futuro reserva, e eu preciso lhes contar sobre isso. “

Eles sentaram duros feito pedra e esperaram por mim para continuar. Seus olhos estavam atentos enquanto eu falei, e os seus rostos não demonstraram nenhuma emoção. Era a maneira vampira de se manter distante, e machucou ver isso em seus rostos passivos, mas eu merecia muito pior do que isso pelas minhas decepções e falhas. Eu tinha escondido o meu segredo durante oito anos, e eles tinham o direito de desconfiar de mim.

Eu lhes contei apenas o básico do que eu poderia fazer, mas era mais do que eu jamais disse a alguém. Eu lhes disse da guerra e da destruição que eu vi chegando. Eu disse a eles dos poucos lugares seguros que teriam sobrado e deixei muito claro que eles precisavam escolher um rapidamente. O início do conflito estava apenas um ou dois anos de distância.

O silêncio encheu a sala quando eu terminei. Será que eles me odiavam? Eles teriam razão se odiassem. Eu tinha sido uma amiga pouco digna de confiança. Ainda assim, me senti muito livre, de repente, em partilhar a verdade. Como eu queria realmente confiar totalmente em alguém, para compartilhar o meu dom e seu fardo horrível!

“Então, você vê o futuro, assim como nós suspeitamos na guerra dos clãs? E agora você vê uma guerra que não pode ser evitada? Isso está correto?” Paul parecia distante e calculista, irritado.

Eu concordei, incapaz de falar. A onda de culpa que tomou conta de mim era em parte minha e em parte dele. Seu dom poderia te fazer querer fazer o que ele desejasse, e eu me perguntei novamente o quanto da minha decisão de viajar com eles tinha sido minha e quanto tinha sido dele.

Recuperei minha compostura e então eu disse a eles o porquê eu tinha guardado o segredo. “Eu sei que este dom é muito poderoso, mas também é muito falível. Você me disse uma vez para manter o meu dom em segredo, e foi um excelente conselho. Eu sinto muito não ter falado sobre isso antes, mas eu tinha medo que vocês me vissem como uma aberração. Eu nunca posso dizer exatamente o que vai acontecer, e isso é a verdade “, acrescentei, quando Gregorio parecia que ia dizer alguma coisa. “Só sei que vai haver uma guerra muito grande, e poucos lugares sobrarão para que vocês permaneçam intocados. “

“A Inglaterra e a França irão suportar o peso disso?”, Perguntou Annette. Seu rosto estava ilegível, mas eu não percebi um olhar protetor e irritado. Mesmo depois de tantos anos, a França era sua casa.

“Sim, e Alemanha, Polônia, e Rússia. Toda a Europa será tocada pelo conflito. Mesmo a Suíça não será refúgio. Ásia não será tão melhor, se as visões estiverem corretas “.

“Então, as nossas opções são uma ilha remota, América do Sul, ou retornar para os Estados Unidos”, ponderou Gregorio.

“Isso é o que eu vejo, mas eu ainda podia estar errada. As visões estão longe de serem perfeitas. “

“Você estava certa de não ir à Volterra”, disse Marianne categoricamente. Ela compreendeu, finalmente.

“Se vocês seguirem as minhas instruções, eu acho que vão todos ficar bem. ” Tentei confortar tanto a eles e a mim. Eu os estava deixando quando eles mais precisavam de mim. Esta era a pior parte de tudo isso, que, quando eu finalmente poderia ajudá-los, eu tinha de partir. “Vocês podem voltar para os Estados Unidos comigo, ou irem para sua casa no Canadá. Vai ser difícil lá, mas vocês estarão seguros. ” Eu queria que eles viessem, para ficarem seguros, mas eles não pareciam temer a guerra.

“Se vai haver matança, eu preferiria estar perto”, disse Gregorio com naturalidade. Ele costumava se alimentar em um campo de batalha.

“Vocês não entendem as armas que eles vão usar. Haverá enormes bombas que criam grandes incêndios e destruição. Mesmo nós não poderíamos suportar a explosão direta. ” Ele tinha que entender que esta guerra seria diferente. O mundo seria diferente.

“Eu tenho que voltar. Eu tenho que encontrar Jasper e tentar fazer isso certo. Eu estou indo viajar até encontrá-lo. Eu não tenho visto muito do meu próprio país, e é hora de eu começar a conhecê-lo. ” Eu queria encontrar o bondoso médico também, mas não havia necessidade de trazer ainda outra visão para esta conversa.

“Eu não quero voltar a restrições e guerra”, afirmou Annette, “É difícil viver em uma cidade devastada pela guerra. Talvez fosse melhor, embora, retornar e esperar. “

“Eu ainda não quero voltar também”, concordou Paul. “Eu pretendia viajar muito mais, e eu não quero mudar os planos. Acho que devemos terminar nossa viagem com a procura de um bom lugar para ficar por um tempo. Talvez em algum lugar que a guerra não vai tocar seria melhor, como diz Alice, mas eu quero manter nossas opções em aberto. É uma hora tão boa para comer. ” Ele também gostava dos tempos mais violento da humanidade.

“Quando você vai embora?” Marianne me perguntou. Eu podia ouvir a sua preocupação e lê-la nas linhas entre os olhos. Mesmo depois de tudo que eu tinha feito para eles, ela estava preocupada comigo.

“Amanhã à noite. Eu preciso caçar o meu tipo de alimento por um tempo para poder fazer a viagem de volta para os Estados Unidos. Vocês precisam saber que as fronteiras estão ficando mais apertadas na Europa, e vocês vão descobrir que viajar pode tornar-se restritivo para vocês”, avisei.

“Bem, então é hora de dizer adeus corretamente. Sem mais conversa de guerra, ao invés vamos lembrar a amizade e desfrutar do tempo “, disse Annette enquanto ela endireitava os ombros. Ela iria fazer o certo, eu percebi, ela sempre soube fazer qualquer ocasião uma festa de algum tipo. Era o seu dom, e o que eu mais admirava nela.

Eles decidiram acompanhar-me até chegar à área de savana, onde viviam os grandes predadores, e então eles continuariam para o sul para visitar Victoria Falls, e África do Sul. Corremos novamente, e mandamos a bagagem adiantado para os nossos destinos finais.

A viagem para o sul foi mais leve e divertida. Paul não usou seu dom para me manter por perto, pelo qual eu estava grata. Acho que ele percebeu que eu não seria boa para ele até que eu encontrasse o meu parceiro. Nós dançamos e rimos, e aproveitamos o curto espaço de tempo uns com os outros. Era estranho como rapidamente sete anos se passaram. Estas despedidas eram ainda piores do que a primeira de uma maneira, mas muito melhor do que qualquer outra que eu tinha sido forçada a dizer. Eu era uma nova pessoa, renascida das cinzas como uma fênix, e eu já sabia muito bem o que eu tinha que fazer. Eu tinha protegido os outros o melhor que pude, e disse-lhes a verdade. Nós nos separamos honestamente dessa vez.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s