“Nessie vai participar do almoço de Natal conosco?” Emily perguntou para mamãe, sorrindo para mim para demonstrar que não estava me ignorando. Eu não me importava.

Mamãe fez uma cara engraçada. “Não existe ninguém mais que use o nome completo dela exceto eu?” ela murmurou. Eu ri e Jake também. “Sim, ela tem idade suficiente para comer conosco agora, não tem querida?” ela perguntou.

Eu de verdade, de verdade mesmo, não queria comer comida humana. Era horrível e gosmenta. Eu não havia provado muito disso, mas a comida de bebê era nojenta, bem como a carne que o Vovô Carlisle pensou que eu pudesse gostar por ser de um animal. Eu definitivamente gostava mais de beber sangue, mesmo que era sangue de animal. Mas, mamãe obviamente queria que eu tentasse comer.

A cozinha parecia bastante cheia. Havia uma mesa grande, que, na verdade, eram duas mesas juntas, com uma grande toalha branca em cima. Haviam montes de facas e garfos arrumados em linhas retas, apontando para o meio da mesa, e haviam montes de panelas e potes diferentes e coisas no fogão. Sue estava tirando tudo dos brilhantes armários amarelos, montes de pratos e louças para a comida. Eu gostava dos armários. Mamãe me disse que a mãe dela os havia pintado há muito tempo.

Todos sentaram em todos os distintos tipos de cadeiras que pareciam ter vindo de várias casas diferentes. Alguém teve que colocar uma cadeira mais alta na mesa para eu sentar e Emily me colocou nela. Ela se sentou do meu lado esquerdo, próxima de Sam, e minha mãe sentou do meu outro lado, e papai ao lado dela.

Mamãe inclinou para papai e sussurrou pra ele. “Temos que comer isso?”

Ele balançou a cabeça. “Sue não cozinhou o suficiente para nós, graças a Deus. Quando Emmett ficar te enchendo e desafiando a comer comida humana, não coma. ”

Coloquei minha mão na de mamãe para dizer a ela que não era justo. Ela não tinha que comer comida humana mas eu tinha!

“Você não tem que comer muito, ” mamãe disse baixinho, rindo um pouco. “Apenas tente algumas coisas, está bem? Nunca se sabe, você pode encontrar algo que goste. ”

Eu não achei que iria.

Sue e Leah começaram a distribuir pratos e eu estava feliz que o meu era bem menor que os dos outros. Quando eles não deram pratos para mamãe e papai, Vovô Charlie pareceu confuso.

“Vocês dois não vão comer nada?” ele disse.

“Uh, não, ” mamãe disse, olhando pra papai para que ele pensasse em uma razão. Mamãe era a pior em fingir ser humana. Ela não era muito boa em fingir qualquer coisa na verdade.

“Esme está nos preparando uma ceia de Natal hoje à noite, ” papai disse. “E Bella só pode comer coisas bem específicas no momento, por causa de sua doença. “

Jake revirou os olhos fazendo um círculo, mas o vovô não viu.

“Pensei que você já estivesse melhor agora?” ele pergunto para mamãe.

“Eu estou, ” ela disse. “É só que seria melhor evitar vários alimentos no momento. Ajuda meu sistema imunológico, ” ela completou.

Jake e Seth reviraram os olhos dessa vez.

“E você, Edward?” Vovô perguntou.

“Vou fazer companhia para Bella, ” papai disse suavemente. “Eu disse ao Seth para avisar Sue de que ela não precisaria cozinhar para nenhum de nós. ”

“Sim, só cozinhei para nove, e mais um pouquinho para Renesmee, ” Sue disse, carregando um enorme pássaro cozido até a mesa. Um peru. Poderia ter sido até maior que eu. “Seu forno não teria aguentado muito mais. ”

“Ah, ” disse o vovô. “Tudo bem, então. ”

Então Sue e Leah começaram a servir a comida. Emily ofereceu ajuda, mas Sue disse não, porque Emily sempre alimentava todos os garotos e ela devia dar um descanso a si mesma de vez em quando, e era  o mínimo que Sue podia fazer para tirar o peso dos ombros dela. Depois disso, Sue pediu para Seth ajudar, porque ele nunca fazia nada na casa e o que seria dele como marido um dia ela não sabia, e tinha pena da pobre esposa às vezes. Embry, Quil, Seth e Jake tinham todos montanhas nos pratos. Leah tinha bem menos, mesmo ela também sendo um lobo também. Eu não sabia porque. Eles me deram um pouquinho de tudo, uma piscininha de molho de carne, uma pequena fatia de peru, um pedacinho de cenoura, uma arvorezinha de brócoli, um montinho de repolho roxo e um pequeno monte de molho de oxicoco. Eu fiz uma careta.

“Apenas prove um pouquinho, ” papai disse. “Não vai doer. ”

Provavelmente doeria. Doeria minha língua pois teria um gosto horrível e minha boca jamais seria a mesma de novo.

Papai riu de mim. Aquilo não foi muito legal.

“Vá em frente, ” Emily disse, e ela estava sorrindo. Ah, então tá. Eu gostava da Emily. Eu tentaria um pouquinho e depois diria a eles que não tinha gostado e acabaria aí.

Eu tinha visto Jake comer com um garfo antes, então peguei o meu. Era diferente do de todos: menor e feito de plástico, não de metal brilhante. Eu me perguntei por que. Eu jamais havia usado um garfo, mas parecia bem fácil, então espetei um pouco de cenoura. Bati no prato com um pouco de força e fez um barulho alto, então olhei pra cima para ver se ninguém tinha notado. Ninguém notou. Todos estavam falando ainda mais alto do que meu prato. Era muito mais alto aqui no que na mansão, mesmo havendo mais pessoas lá. Provavelmente porque humanos não podiam ouvir tão facilmente quanto todos os outros, então eles falavam mais alto para serem ouvidos melhor.

Coloquei a cenoura na boca e puxei com o meu dente. Era estranho, mastigar coisas. Normalmente eu apenas engolia, porque não dava para mastigar sangue. A cenoura era um tanto crocante e acho que doeria se eu tivesse engolido sem mastigar. Entretanto, era molhada, o que era bom. Sentia um pouco como sangue por estar molhada. Mas era muito yucky. Engoli rapidamente para não ter mais aquilo na boca.

“Não gostou disso, né?” Emily disse.

Balancei a cabeça.

“Você é uma comedora difícil, Nessie, ” Jake disse. Ele estava sorrindo e piscou para mim rapidamente, os humanos provavelmente não viram. Eu sorri de volta para ele.

“O que você vai provar agora?” Mamãe perguntou. Ela estava assistindo bem de perto. Lembrei de que mamãe costumava comer comida antes de eu nascer. Foi assim quando ela provou sangue pela primeira vez?

Decidi tentar o molho de carne, porque se fosse horrível era só engolir. Coloquei meu garfo na pequena piscina até que estivesse coberto daquilo, e então lambi. O molho era estranho, porque era quente como sangue e molhado como sangue, mas era aguado e não tinha o gosto certo. Não gostei. Engoli rapidamente também.

“Você não gosta de molho de carne?” Jake perguntou. Ele parecia um pouco chocado, mas acho que estava brincando.

Balancei minha cabeça de novo.

Depois daquilo, tentei o repolho roxo, porque era roxo, mas era yucky também. E então a brócoli porque parecia uma árvore, mas tinha gosto pior que o da cenoura. Eu ignorei o peru, porque eu não gostava de comer animais sem sangue. E então, provei o molho de oxicoco. E sorri.

“Você gosta?” Mamãe disse, e ela parecia realmente chocada.

Eu acenei entusiasmada. Eu não sabia do que tinha sabor, porque não sabia que palavras eram certas. Eu não sabia o que doce significava, ou apurado, ou ácido ou salgado, mas, talvez eu pudesse pedir a Jake ou para mamãe para me dizer depois. Eu apenas gostava muito disso. Dei outra garfada cheia. Gostei mesmo de molho de oxicoco.

“Acho que ela tem uma quedinha por coisa doce, ” vovô Charlie estava dizendo para o papai.

“De fato, ela tem, ” papai disse. Leah fez uma careta do outro lado da mesa e Sam olhou para papai com uma cara engraçada.

Eu não estava mesmo ouvindo. Eu estava pensando em como comer o molho de oxicoco me fez sentir menos sede. Aquilo era estranho. Você tinha que beber para ter menos sede. Mesmo com os humanos, pensei. Mas eu estava comendo molho de oxicoco, e estava ficando com menos sede. Então eu não precisaria beber sangue o tempo todo. Eu poderia comer no lugar. Talvez isso fosse útil um dia.

Emily continuava a me dar molho de oxicoco quando o vovô não estava olhando. Eu gostava mesmo, mesmo da Emily.

Logo as pessoas terminaram de comer. Embry terminou primeiro, mesmo ele tendo mais comida. Todos os lobisomens terminaram bem rapidamente e, Quil, Embry e Jake pegaram mais também. Era bobo; tudo tinha um gosto horrível, menos o molho de oxicoco.

Mamãe e Emily lavaram os pratos e Sue preparou o pudim. Era chato, esperar pelo pudim. Todos estavam conversando, mas ninguém estava mais sentado perto de mim, então eu não podia mais falar com ninguém. Era provavelmente rude ir embora, no entanto, e seria ainda mais chato sentar sozinha na sala. Eu gostava de ficar com as pessoas. Eu gostava de conversar com elas. Eu não gostava de fingir ser humana.

Papai, Jake e Seth estavam falando de carros. Jake gostava muito de carros; ele havia construído um ele mesmo. E ele havia construído duas motos para ele e mamãe. Eu pensei que aquilo era muito inteligente, mas tia Rosalie disse que não era já que as motos pareciam que iam cair aos pedaços a qualquer segundo, e de qualquer forma, ela teria feito um trabalho melhor. Parecia que Seth não entendia muito de carros; ele ficava trocando os nomes. Então Jake e meu pai começaram a falar de motores e Seth pareceu confuso. Ele virou e foi falar com Embry e Quil.

Embry e Quil estavam falando de uma gata na escola que ficava seguindo Embry por aí. Eu não sabia que tinha gatos nas escolas. Pensei que fossem só humanos, Eu perguntaria ao Seth depois, porque ele ainda ia para a escola.

Sue e vovô estavam falando de um dos primos de Sue. Isso era muito chato.

Mamãe e Emily estavam falando de mim. Emily estava dizendo que eu era inacreditavelmente adorável. Mamãe estava perguntando se Emily planejava ter sua própria família. Isso seria legal, pensei. Eu poderia ser amiga das crianças de Emily. Se eles gostassem de vampiros, claro.

Finalmente, o forno fez um barulho agudo muito alto, e Sue levantou de novo para retirar o pudim. Parecia com uma pequena montanha marrom. Mamãe se sentou rapidamente quando Sue pegou uma garrafa com algum líquido de outro armário amarelo e banhou o pudim. Eu me perguntei porque, e então Sue pegou uma caixa de fósforos e ateou fogo no pudim! Já estava cozido, porque colocara fogo? E fogo era ruim. Vampiros pegavam fogo facilmente. Fogo podia matar alguém! Agarrei a mão da mamãe.

“Tudo bem, ” ela sussurrou. “O fogo não vai espalhar-se para mais lugares. é só pra deixá-lo bonito. ”

Quando Sue colocou na mesa, o fogo cobria o pudim como um vestido que se movia com o vento, vovô bateu palmas, e então Embry, Jake e Sam também.

Eu não entendia os adultos. Especialmente adultos humanos.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s