Nota da autora:  Chegamos ao final. Esse capítulo é do ponto de vista de Bella, e segue quando Renesmee sai para tomar seu banho.

Acenei um adeus para Renesmee e Rosalie a levou pelas escadas para tomar banho. Eu não invejava ela e Esme pelo tempo que passavam com minha filha, ela era a família delas também e eu realmente precisava ligar para Renee. Fui até o telefone, mas quando eu estava prestes a discar, Edward falou atrás de mim.

“E o clima?”

Sua voz era inocentemente curiosa, mas a realização nos atingiu menos de um segundo depois.

“Vai nevar, não é?” Eu perguntei, horrorizada.

“Sim “, Edward confirmou.

“A previsão do tempo diz que dentro de uma semana”, Carlisle nos disse. “Cinco ou seis dias”.

“Não”, eu ofeguei.

Edward estava atrás de mim, seus braços em volta da minha cintura, e eu sabia que ele não queria que eu visse seu rosto. Ele não queria piorar as coisas para mim. Sentia-me exatamente da mesma maneira, eu não queria tornar isso pior para ele, ou para ele ver em meus olhos que estávamos condenados.

Carlisle se moveu em nossa direção, colocou a mão no meu rosto e no ombro de Edward. “Já faz um mês, nós estávamos esperando por isso. “

Concordei, mas era óbvio que eu estava tonta.

“Estamos prontos, Bella”, disse Tanya. “Não há muito mais que possamos fazer. “

“Há uma grande possibilidade de eles pararem e nos ouvirem, ” Carmen me lembrou.

“E se não pararem, ” Emmett começou, mas Edward o cortou com um rosnado afiado.

Era em momentos como este que eu queria que Jasper ainda estivesse aqui, me esforcei para me recompor, mas eu não poderia fazer isso instantaneamente. Me virei para Edward e enterrei meu rosto em seu peito, respirando seu perfume para me acalmar, para me lembrar que cinco dias eram sete mil e duzentos minutos que eu ainda tinha com a minha família. Nunca seria suficiente, mas ainda era alguma coisa.

Eu passei um minuto em silêncio, nos braços de Edward, apenas respirando profundo, que na verdade eu não precisava e que não ajudava, e eu tentei não contar os segundos que inexoravelmente passavam. Eu tinha prática agora em controlar minhas emoções, ou pelo menos adiá-las até que eu pudesse mergulhar nelas, então foi um período relativamente curto de tempo antes que eu olhasse de volta para o belo rosto de Edward para tranqüilizá-lo que eu estava bem, e o beijei castamente.

“Eu vou ligar para Renee antes que seja tarde demais”, eu disse a ele, e tentei não pensar naquilo em termos de dias.

Carmen, uma mulher gentil mas apaixonada que eu vim a amar, levantou-se, segurando a mão de Eleazar e dando a Tanya sua sugestão para se juntar a eles e nos deixar sozinhos. Eles saíram pela porta dos fundos na parede de vidro, aproveitando a oportunidade para fazer alguma caça extra. Emmett, também, saiu da sala por um minuto, sabendo que era provável que eu ficasse emocionada quando eu desligasse e querendo evitar. Eu prometi a mim mesma que eu não iria me deixar ir tão longe.

Não havia telefone no chalé além de nossos celulares, sendo que ele não existia oficialmente e foi concebido como um refúgio privado, então eu estava ligando daqui.

“Alô?” Minha mãe respondeu. Mesmo naquela única palavra eu podia ouvir duas coisas: a primeira que ela estava totalmente alegre e a segunda que ela estava esperando minha ligação. Apenas naquela única palavra, havia o suficiente para me fazer querer desmoronar novamente.

“Ei, mãe, ” eu respondi, tentando controlar a minha voz e fazê-la soar humana. “Feliz Natal”.

“Ah, Feliz Natal, querida! Recebeu meu presente?”

“Sim, foi realmente doce da sua parte”, garanti a ela, sorrindo para Edward. “Recebeu o nosso?”

Graças a Deus pela Internet e entrega para o dia seguinte. Enviamos para ela uma moldura digital, pois eu sabia que Phil amava suas coisas tecnológicas e Renee tinha fotos por toda parte.

“Ah meu Deus, querida, é brilhante! Eu já fiz Phil colocar todas as fotos do seu casamento nela, eu posso vê-la daqui. “

“Estou tão feliz que você gostou”, disse eu, por falta de coisa melhor. “Você teve um bom dia?”

“Ah, claro que tivemos, tínhamos uns dois rapazes do time de beisebol por aqui, e eu fiz jantar completo e tudo mais, e eu juro que fiz o peru certo desta vez. Bem, Phil disse que eu fiz, mas você sabe como ele é, provavelmente ele está mentindo para me fazer sentir melhor. “

“Tenho certeza que foi ótimo, mãe”, eu disse suavemente.

“Querida, você não provou dele no ano passado. Ele estava seco como osso, acho que calculei errado, mas eu tive Mandy da minha aula de ioga para me ajudar com o trabalho este ano. “

“Ah, você está fazendo ioga agora?” Eu perguntei. Era um pequeno lembrete de quão distante eu me tornei de Renee, eu só a mandei uns dois e-mails desde que me casei, e nenhum no mês passado. Antes, eu costumava mandá-la e-mail a cada semana pelo menos, resenhas inteiras.

“Sim, bem eu não posso ter o meu marido parecendo mais sarado do que eu, posso? É brilhante, Bella, tão relaxante. Você deveria tentar. “

“Talvez eu deveria”, sorri. Um pouco de relaxamento não faria mal agora.

“Mas vamos falar de você! Primeiro Natal como uma mulher casada, como foi?”

Revirei os olhos com carinho. “Eu não acho que estar casada tem muito a ver com o Natal. E passamos o dia lá no Charlie, de qualquer maneira, não foi muito diferente do ano passado. “

Percebi que mentira total aquela era assim que as palavras escaparam da minha boca, e virei o rosto para a parede para evitar o olhar de Edward. No Natal passado, eu tinha sido humana, e tinha sido um zumbi. Eu não podia sequer lembrá-lo corretamente. Eu o apaguei quando eu era humana e como um vampiro eu tinha tudo totalmente esquecido.

“Com toda a família de Edward?” Renee persistiu, e fiquei contente que sua mente não estava seguindo a mesma linha de pensamento que a minha.

“Não, só eu e ele, ” eu disse. “Todo mundo passou aqui. ” Era mais fácil manter-se perto da verdade do que começar a inventar histórias que eu sabia que apenas contradiriam em um ou dois minutos. Ainda assim, eu decidi não falar de Alice e Jasper, e esperava que Renée não falasse também.

“Ah, certo. ” Ouvi uma campainha ao fundo, e Renee colocou a mão sobre o bocal do telefone para dizer, “Phil, você pode atender? ” Ouvi o coro natalino à porta, e estremeci com o som de ‘Noite Feliz’. Será que essas pessoas não viam a ironia?

“Ah Deus, Bella, eu vou ter que ir. É esse coro de natal, há tanto deles por aqui! Eu juro que é apenas no nosso quarteirão, mas eles são como moscas, há sempre mais”.

“Ok, mãe”, eu disse. Essa era a minha última conversa com ela? E iria ser cortada por alguns cantores inoportunos?

“Ouça, eu falo com você no Ano Novo, certo filha? Mas me deixe ligar pra você, só Deus sabe quando vou acordar!”

Sete dias. “Hum, a gente pode estar ocupado até lá. Vou te dizer, eu te ligo, mas no começo da noite, ok?” Não pense que você não vai estar lá. Não pense isso. Não pense isso.

“Claro, querida. Diz um oi a Esme por mim, tá?”

“Direi. Diz um oi a Phil por mim. “

“Claro. Nos falamos logo, querida. Te amo. “

“Eu também te amo, mãe”.

Ouvi o clique no final da linha e o coro desafinado parou abruptamente. O silêncio repentino pareceu simbólico. Soltei um suspiro e desliguei o telefone.

No período seguinte de espera para Renesmee para terminar seu banho, nós quase não falamos nada. Carlisle estava assistindo o noticiário para boletins meteorológicos atualizados. Edward se juntou a ele, enquanto apenas me encostei em meu marido e deixei minha mente vagar, sem deixar que nenhum dos meus pensamentos ganhasse peso suficiente para me afetar muito.

Uma das coisas mais legais sobre a minha família era a forma que poderíamos existir em silêncio e nunca deixar isso nos incomodar. Nunca era constrangedor de forma alguma, e mesmo Alice ou Emmett, que voltou agora para ver as notícias com meia atenção, poderia permanecer quieto, sem se deixar incomodar. Claro, isso não queria dizer que acontecia muitas vezes para Emmett, mas mais o fato de que isso poderia acontecer que importava.

Eventualmente, Esme e Rosalie desceram a escada com Renesmee dormindo nos braços de Rose. Ela parecia perfeitamente angelical, inocente e feliz, como uma extraordinariamente linda criança humana, sem o peso do mundo sobre seus ombros.

“Ela adormeceu enquanto Rose estava arrumando o cabelo dela”, Esme explicou suavemente.

“Eu disse que ela não duraria uma hora e meia”, Edward provocou-me gentilmente.

“Eu sabia disso, ” o informei. “O importante é que a fez feliz. “

“Sim”, ele sorriu. “Vamos levá-la para casa, então?”

Concordei, e nos levantamos como um só, Edward a pegando de Rosalie sem mexer um único fio de cabelo na cabeça de nossa filha.

“Boa noite”, eu disse para a sala em geral, e todos murmuraram o mesmo de volta. Foi tão humano. “Renee disse oi”, eu disse a Esme quando passamos por ela.

Ela balançou a cabeça, e beijou minha bochecha. Esme realmente era a minha segunda mãe, a mãe que Renee nunca tinha sido. Ela tinha ouvido nossa discussão anterior e, sem dúvida quis me acolher nos braços logo que eu mencionei a palavra “neve”, e ela manteve sua neta entretida enquanto discutimos a nossa desgraça iminente.

Eu sentiria falta das duas, Renée e Esme. Rezei para que Esme fosse poupada.

Partimos então, atravessando o crepúsculo crescente para o pequeno chalé que se tornou parte da minha definição da palavra “casa”. Edward correu no mesmo ritmo lento que eu estava mantendo a fim de não perturbar nossa filha adormecida, apesar de eu duvidar que ela se agitasse se ele corresse. Entramos pela a porta destrancada para a nossa casa de conto de fadas e fui diretamente ao quarto de Renesmee para colocá-la na cama.

Edward a deitou em sua pequena cama, a qual ela deveria ultrapassar em breve, e beijou seus cachos, se espalhando sobre o travesseiro como halo de bronze. Eu puxei o edredom sobre ela, prendendo-o com cuidado em torno de seus ombros e beijei sua suave testa. Tínhamos repetido essas ações já por três meses e meio e nunca falharam em me confortar. Hoje, porém, a visão de minha filha adormecida pareceu mais amarga que doce.

Ficamos por um momento ao pé da sua cama, observando-a dormir como Edward costumava testemunhar o meu sono. O constante subir e baixar de seu peito, que costumava ser tão reconfortante para mim agora parecia ser a contagem regressiva do tempo que tínhamos de resto. Lembrei-me da minha mudança durante os primeiros dias de vida de Renesmee, como eu tinha contado as respirações de Edward para marcar o tempo que restava. Lembrei-me de como esses três dias duraram uma eternidade.

Eternidade nunca pareceu mais longa.

De repente, a previsão do tempo me bateu novamente. Quanto tempo nos restava? A previsão do tempo estava certa? Eram apenas cinco dias? Será que realmente só tínhamos cinco dias para viver? Apenas cinco dias com minha filha. A idéia era insuportável. Não conectava muito com meu coração; eu não conseguia compreender que o final iria realmente ocorrer, mesmo com a minha mente nova e melhorada.

“Vamos, amor?” Edward disse baixinho, correndo os dedos levemente pelo meu braço para pegar minha mão.

Automaticamente, meus dedos entrelaçaram com os dele. Ele podia ver como eu estava chateada, lendo meu rosto e olhos como um livro, mas ele sabia que era melhor não me perguntar. Por um lado, é claro que eu estava perturbada enquanto minha família se preparava para a batalha, e por outro eu sabia que ele tinha percebido que eu tinha algo a esconder. Em outra vida ele teria gostado de saber, para me proteger, mas nós tinhamos mais do que a nós mesmos para proteger agora. Tínhamos a nossa filha.

Apertei a mão do meu marido delicadamente, cuidando para não machucá-lo. “Dê-me um momento”, murmurei, virando para me afogar em seus profundos olhos dourados.

Ele ficou me olhando por apenas um segundo, e eu me perguntei o que ele havia visto. Então ele se inclinou para beijar-me suavemente e me deixou lá com Renesmee.

Eu não me movi nada mais para perto dela, ou sentar na cama, como um ser humano iria; eu estava perfeitamente à vontade em pé e não queria arriscar perturbá-la de qualquer maneira, mesmo eu sabendo que não iria. Em vez disso eu apenas a observei, ouvindo seu coração batendo como asas de uma borboleta, e aspirei seu aroma celeste, lembrando-me que ela ainda estava aqui e eu também.

Eu passei apenas um ou dois minutos no quarto de Renesmee; ela não era a única pessoa que eu estava deixando a contragosto. Eu fiz em minha mente o caminho para nosso quarto branco, o eco de nossa lua de mel feliz, o momento da concepção Renesmee. Edward estava esperando por mim; imediatamente ele me trouxe próxima à si e me beijou.

“Você está bem agora?”, Ele perguntou-me com ternura.

Concordei. Era mentira, mas que bem a verdade faria agora?

“Bella”, ele sussurrou, vendo através de mim como sempre fazia. “Vamos apenas aproveitar ao máximo o que temos agora. Por favor?”

Para meu horror absoluto, encontrei-me começando a tremer com lágrimas não derramadas. Agarrei-me mais forte nele, e embora provavelmente eu o estivesse machucando, ele me segurou mais apertado também.

“Bella?”

Ele queria me perguntar o que estava errado, eu sabia, mas ele não queria que eu tivesse de admitir que eu estava escondendo alguma coisa, porque isso diria a Aro com certeza que Edward estava certo.

“É nosso primeiro Natal”, eu disse em um sussurro quebrado. “O primeiro Natal de Renesmee. “

Ele não me disse que iria ser o nosso último, porque ele sabia que não iria me ajudar nenhum pouco. Em vez disso, ele acariciava meu cabelo e costas com movimentos longos e lentos, e pressionana seus lábios nas mechas que ele estava acariciando.

“Shh, shh”, disse ele, mas quando olhei para cima, seus olhos também estavam escurecendo e a mesma tristeza estava escrita em seu rosto como estava no meu. Estendi a mão para afagar sua face, e ele o virou em minha mão.

“Desculpe”, eu sussurrei.

“Não peça desculpa”, ele me disse, quase ferozmente. “Todo mundo está se sentindo exatamente da mesma maneira. Eu me sinto assim como você, você sabe disso Bella. “

Mas ele não sabia que não iríamos sobreviver. Ele não sabia que em cinco ou seis dias estaríamos mortos e nossa filha estaria fugindo por sua vida por todos os continentes com o nosso amigo, não conosco. Ele não sabia que ela estaria de luto por nós em menos de uma semana.

Ainda assim, eu me recompus então. Ele estava certo em um aspecto pelo menos. Tínhamos de aproveitar ao máximo qualquer coisa que tínhamos, tudo que tínhamos.

“Eu te amo”, eu disse a ele.

“Como eu a você”, respondeu ele.

Beijei ele, corretamente, profundamente, até que eu não tivesse que pensar mais.

Em algum ponto próximo da meia-noite, ele me desejou um Feliz Natal e eu tive que admitir que foi o melhor Natal que já tive, apenas porque era o meu único natal com Edward e com Renesmee. Era o nosso primeiro Natal juntos, mesmo se fosse o último. E pelo menos era só o meu último Natal, apenas o último Natal de Edward. Pelo menos não seria o último Natal de Renesmee.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s